segunda-feira, 14 junho 2021
- - - - - -
Educação Moral e Religiosa Católica

Secretariado Diocesano do Ensino da Igreja nas Escolas - Porto

Encontro EMRC

Visitantes

Hoje 132

Ontem 237

Esta semana 132

Este mês 1372

Total 1585924

Neste momento: 5 convidados e nenhum utilizador em linha

ADIAMENTO XVIII ENCONTRO EMRC PORTO

  • Publicado em segunda-feira, 20 abril 2020 10:53
  • Escrito por SDEIE
  • Acessos: 390

Car@s Professores e alun@s!

 

Dada a situação que o nosso país atravessa,

o nosso XVIII Encontro de EMRC foi adiado.

Falámos com o Paulo Sousa, cantor, compositor e YouTuber,

para que nos gravasse um pequeno vídeo

sobre o que seria o encontro e a anunciar esta decisão.

Ao mesmo tempo, deixou-nos um desafio

e uma motivação para a inscrição em EMRC…  ora  aqui está o vídeo!

Continuemos a trabalhar porque EMRC não pode parar!

 

paulo sousa fb       Positive vibes EMRCPORTO 31 03 2020

 Foto facebook @PauloSousaMusic 

UMA QUARENTENA DE PALAVRAS?

  • Publicado em quinta-feira, 16 abril 2020 22:15
  • Escrito por SDEIE
  • Acessos: 335

 

Que perguntas é que o nosso presente me coloca?

Obviamente, não serei o único com interrogações… O nosso presente está na crise do coronavírus, e ainda que estejamos envolvidos pela névoa que torna incertos os contornos do futuro,

mesmo nesta situação podemos e devemos interpelar-nos, para responder de maneira sábia…

Quem será a primeira pessoa que desejo voltar a abraçar quanto terminar a quarentena?

Este jejum dos contactos induz-nos, inevitavelmente, a examinar as nossas relações, colocando em evidência aquelas que para nós,

no fim de contas, são as mais vitais. Esperamos que, depois, não as esqueçamos.

Qual é a coisa que verdadeiramente me faz mais medo em todos estes acontecimentos?

Esta pergunta, em certo sentido, é a mesma da primeira, sob uma perspetiva mais sombria, a do medo da perda.

Ou pode desalojar outros medos recônditos em nós, que talvez nos digamos solidamente crentes.

Pois bem, façamos sair todos estes medos, chamando-os pelo nome, e decidamos enfrentá-los com as armas da fé, da esperança, do abandono nas mãos de Deus, Podemos vencê-los.

Tenho realmente vontade de voltar à normalidade?

Uma pergunta surpreendente, que me faz um pouco corar de vergonha, sobretudo se penso nos pobres mortos, nos médicos e nos enfermeiros na trincheira,

na crise económica que está para chegar…no entanto, não é um acaso que seja esta a pergunta que mais vezes nestes dias ouvi formular inclusive por outros.

A verdade é que estávamos demasiado habituados ao stress, a vidas alienadas sempre a correr, aos afetos familiares que se viam só à noite ou ao fim de semana.

Como seria belo poder levar consigo os espaços de novidade adquiridos, quando tivermos ultrapassado a crise!

https://www.snpcultura.org/qual_sera_a_primeira_pessoa_que_desejo_voltar_a_abracar_quanto_terminar_a_quarentena.html

 

Mar na Foz 086 Easy

 

 

Este é o tempo para as palavras que ainda não tivemos coragem de dizer, afirma cardeal Tolentino

O que nos podem ensinar romances e narrativas em tempos de epidemia? Que o humano tem insuspeitas capacidades de resistência quando colocado perante o mal, o caos?

Um dos poderes mais importantes que as histórias têm – e isto é aquilo que a literatura nos oferece: um extraordinário arquivo de histórias

– é o de funcionar como espelhos da nossa realidade.

Lemos as histórias e sentimo-nos compreendidos, porque nelas encontramos descrita uma experiência equivalente àquela que fazemos,

e pela qual, muitas vezes, ainda não encontrámos palavras, ou as palavras certas.

A situação de emergência global desencadeada pela pandemia apanhou-nos a todos impreparados.

Por este motivo, no início sentíamos todos a necessidade de parábolas já escritas ou mostradas pelo cinema que contassem experiências semelhantes.

Esta é uma maneira de domar o medo do desconhecido. Mas depois demos um passo em frente.

E começámos a desejar novas parábolas que ajudassem a interpretar e a dar um sentido ao nosso sofrimento mais profundo.

Creio que o papa Francisco foi um mestre extraordinário.

Aquela celebração de sexta-feira à noite na praça de S. Pedro vazia foi a parábola mais poderosa e necessária para estes tempos.

Francisco, abraçando o vazio e a solidão, é como se os tivesse exorcizado: começámos, assim, a olhar o vazio de outra maneira.

Isto demonstra como a fé é uma parábola capaz de tocar e curar o coração humano.

Nos jornais e nas redes sociais está a escrever-se e a falar-se muitíssimo sobre a pandemia do coronavírus.

Não nos arriscamos também a fazer “má literatura”, ou “má televisão”, sobre uma situação objetivamente trágica?

Como é enfrentado o trauma?

Porque, em substância, é disto que falamos quando falamos da pandemia: um trauma, isto é,

uma agressão inesperada para a qual não tínhamos defesas e que devastou a nossa imagem do mundo.

Uma das coisas importantes a fazer num percurso de cura, segundo dizem os psiquiatras, é contar a alguém a nossa história.

Por este motivo, este momento de pandemia é um tempo de palavras, de relatos que se acumulam, de narrações que se sobrepõem.

Provavelmente é “má literatura”, mas não importa, creio que terá um efeito terapêutico significativo. Aquilo que aconselho é isto: façamos deste momento um momento para falar.

Mas não pela palavra repetida e esgotada, pelos comentários às imagens que enviámos pelo WhatsApp, quase sem pensar.

É essencial que este seja o tempo para as palavras que desejaríamos ter dito e que talvez ainda não tenhamos dito, aquela palavra de amor que foi adiada,

quela gratidão pela vida do outro que não tivemos ainda a coragem de exprimir.

Este é o momento. Pode aplicar-se ao que está a acontecer a categoria bíblica da “provação”? O desespero – não a fragilidade – é o exato contrário da fé?

Este é, certamente, um momento de “prova”, em que todos somos chamados a uma resposta eticamente qualificada.

O papa Francisco recorda muitas vezes um princípio, segundo o qual «o tempo é superior ao espaço».

Este princípio é de grande sabedoria, porque não absolutiza o presente, mas coloca-o em relação com o passado e, sobretudo, com o futuro.

Temos um futuro! O discurso da fé ajuda-nos a abraçar a fragilidade, a não temer a fragilidade, mas ajuda-nos também a sentir de novo

aquela palavra que Deus disse a Abraão: «Levanta os olhos da terra e conta as estrelas».

Este é também o momento de olhar as estrelas. Ou como dizia a mística Etty Hillesum, no diário que escreve no campo de concentração de Westerbork,

este é o momento de «olhar os lírios do campo».

A esperança não pede a tradução em gestos concretos, em decisões operativas que dizem respeito ao destino da coletividade, inclusive a nível político?

Para muitos, a pergunta sobre aquilo que nos espera no termo desta pandemia é talvez ainda mais angustiante do que aquilo que estamos a experimentar no presente…

É importante darmo-nos conta que o mundo já não voltará a ser aquilo que era, e que há um novo percurso que devemos seguir.

Mas para isto temos de reforçar a nossa experiência comunitária.

É juntos, todos unidos, sem descartar ninguém, sem deixar ninguém para trás, que seremos capazes de enfrentar os imensos desafios que nos esperam.

Não tenhamos dúvidas: a única verdadeira “imunidade de grupo”, de que tanto se fala, é o amor, a justiça social, a construção de um mundo mais humano.

Todas as outras “imunidades de grupo” são precárias e só agravarão a crise.

Este é momento de caminhar juntos, redescobrindo o significado concreto de palavras como nação, humanismo, vida comum, confiança.

Olhai os Lírios

 

https://www.snpcultura.org/este_e_o_tempo_para_as_palavras_que_ainda_nao_tivemos_coragem_de_dizer.html

CANTAR PARA O MUNDO

  • Publicado em quinta-feira, 16 abril 2020 17:35
  • Escrito por SDEIE
  • Acessos: 355

 

No passado domingo, Domingo de Páscoa, 

o tenor italiano, Andrea Bocelli, 

cantou, sozinho, em plena catedral de Milão, 

apenas acompanhado pelo organista titular,  Emanuele Vianelli.

Este pequeno concerto, a partir de uma das cidades mais afetadas, 

pela pandemia da COVID-19, transmitiu uma mensagem de amor e de esperança 

não só para Itália, mas para o mundo inteiro.

 

" A Santa Páscoa é símbolo universal de um renascimento de que todos,

crentes e não crentes, temos necessidade.

Devemos festejá-la a cada dia, quando acordamos,

quando adormecemos na confiança de reencontrar uma aurora pronta a acolher-nos.

Creio que através deste vírus o mundo nos deu, de alguma maneira, uma advertência.

Espero que todos nós saibamos aprender a lição, guardando-a como um tesouro,

aproveitando a oportunidade para mudar a nossa atitude em relação à vida."

#MusicForHope

 

 

Clique para ouvir o concerto: Andrea Bocelli: Music For Hope - Live From Duomo di Milano

 

 

93654657 3481204601892738 7363235414787751936 o

Fotografia oficial da página facebook de Andrea Bocelli.

 

 

Notícia SDEIE

Positive vibes EMRCPORTO 31 03 2020

 

 

 

PROXIMIDADE E LIGAÇÃO AOS ALUNOS

  • Publicado em terça-feira, 14 abril 2020 17:39
  • Escrito por SDEIE
  • Acessos: 282

Notícia Agência Ecclesia (14.04.2020)

 

" O coordenador do Departamento Nacional da Disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica afirmou hoje que os professores da disciplina

apostam num ensino remoto “de qualidade” e procuram responder ao apelo do Ministério de Educação de “aproximação possível aos alunos”.

Para António Cordeiro, o objetivo do Departamento de EMRC, do Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC),

é continuar “um ensino, embora remoto, mas de qualidade, mantendo a ligação aos alunos, que é tão importante para todos”.

“O Ministério apela a que seja concretizada esta aproximação possível aos alunos e nesse ponto conseguimos dar um passo”,

afirmou o coordenador do departamento da disciplina de EMRC.

Para o terceiro período que hoje inicia, os coordenadores da disciplina recuperaram “um conjunto de recursos didáticos”

para  “apoiar  e complementar o ensino à distância de EMRC”.

De acordo com António Cordeiro, os recursos preparados pelo Departamento de EMRC são uma resposta ao Ministério de Educação

que criou uma página na internet de “apoio às escolas, onde consta a disciplina, para serem alojados links que remetem para repositórios de recursos”,

onde estão também os desta disciplina.

Os recursos do Departamento de EMRC estão também alojados no portal da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé (www.educris.pt).

António Cordeiro valorizou a trabalho dos professores de “adaptação” às novas circunstâncias educativas,

que decorrem do isolamento social, lembrando que foi necessário foi reorganizar metodologias em semanas de “muita exigência”, no fim do segundo período letivo.

“A colaboração e a cooperação entre professores ajudou a vencer alguns obstáculos, nomeadamente pela partilha de materiais”, afirmou.

António Cordeiro disse ainda que está a ser preparado um recurso que vai ao encontro de “outra preocupação” e que está relacionada com a “frequência da disciplina”.

“Estamos a organizar e a conceber alguns recursos nesse sentido”,

afirmou o coordenador do Departamento da Disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica do Secretariado Nacional de Educação Cristã.

O Secretariado Nacional de Educação Cristã vai também proporcionar aos professor de EMRC formação para se a utilização de plataformas de ensino remoto."

 

Notícia publicada aqui.

 

Positive vibes EMRCPORTO 31 03 2020

UM CORAÇÃO LIVRE

  • Publicado em terça-feira, 14 abril 2020 10:05
  • Escrito por SDEIE
  • Acessos: 281

Cardeal escreveu aos jovens portugueses, no Domingo de Páscoa

 

O cardeal português D. José Tolentino Mendonça, bibliotecário da Santa Sé,

enviou uma mensagem aos jovens portugueses,

convidando-os a superar as dificuldades

provocadas pela atual pandemia de Covid-19.

 

“Por favor, queridos jovens, não deixem o vosso coração prisioneiro do confinamento.

Esta não é uma hora para tornar o coração pequenino, mas para fazê-lo crescer.

Este não é o momento para desistir de sonhar, mas é sim uma estação para os grandes sonhos”.

 

Refere numa carta divulgada no Domingo de Páscoa, 12 de abril, 

pela organização da edição internacional da Jornada Mundial da Juventude

de 2022, que vai decorrer em Lisboa.

 

D. Tolentino aos jovens redes

Pode consultar aqui a mensagem em vídeo e por escrito.